Chora, menina

Sydney Sims Chore tudo o que tiver para chorar. Chore pela cama vazia, pelo cinza dos retratos espalhados pela casa, o resto do vinho que você já não aguenta beber e as bitucas de cigarro que te encaram, te cobram uma atitude – nem que seja um retrocesso. Chore pelo rádio que toca as mesmas…

O outro

Charles Deluvio 🇵🇭🇨🇦 E após as recaídas, As humilhações e o Descaso do outro, Você vai seguir em frente. Que o outro não tinha (e nem há de ter, enfim) O seu manual – sequer tentara -, Não viveu tuas crises, não viveu ou mesmo assistiu tuas intempéries. O outro não atribuiu os teus vícios…

Das crises

Tsc, tsc, tsc. Escrevo, apago, escrevo de novo. Apago novamente. Que diabos é que tá havendo comido? Que diabos eu tô fazendo aqui, bancando a escritora? Por que o texto não flui como antes? Por que não flui mais nem com a bebida? Deve ser a ansiedade. Sim, ela tem me tomado ultimamente. Você planeja…

Fim de jogo pra nós

Certo dia você acorda, olha em volta e se depara com a casa vazia. A casa e a sua carcaça (quase) vazias, na verdade. Que você deixou o sentimento por outrem se apossar e tirar-lhe a razão, cegar-te diante de seus princípios. Você havia abdicado muito antes: de si mesma, das tuas causas. Você se…

Paramos no tempo

Lembra quando você veio aqui pela primeira vez, my boy? Você chegou um tanto acuado, um tanto intrigado. Não sabia o que rolaria – ou não rolaria – naquela noite. Mas você veio. Você arriscou, lançou-se numa narrativa, num desenrolar com uma mera amiga – ou, quem sabe, apenas uma “conhecida”. Mas você veio, my…

Não será suficiente

Se você ficar em casa Esperando-o voltar, Após um dia cansativo de trabalho. Mesmo com a mesa posta, A mesa feita, com o prato favorito dele, E o seu corpo trajado no vestido Que ele trouxe da última viagem. Não será suficiente, menina. Não será suficiente, também, menina, Se você for tão desapegada e tocar a…

Do cansaço

Hoje acordei com uma vontade imensa de abdicar e sumir. Abdicar da faculdade, das contas para pagar, da casa própria, dos dois empregos. Abrir mão de cada pessoa que cruzou o caminho até agora e sumir. Partir para um lugar distante e começar do zero. Sim. Lá eu faria diferente – acho. Não aceitaria metade…

Que a vida é um ciclo de pegadinhas

Você acorda numa manhã de sábado e pensa que está tudo ok. Seu time vai jogar bem. O elenco está entrosado, o treinador é bom e o último centroavante contratado é melhor ainda, meus caros. O clima do churrasco da organizada está garantido. Só que não. Você pensa que o universo vai conspirar ao seu…

Quando eu quebrar

Você não vai estar perto quando eu quebrar. E que assim seja. Pois isso só ia me expor mais ainda, meu bem. Creio que nem você, nem ele ou um novo alguém conseguiria juntar metade dos cacos que estavam remendados, ensaiando um novo desmanche. Nem eu, sozinha, hei de conseguir. Acho que a gente vai…

Parar para poder seguir

Às vezes eu preciso de espaço. Sim. Certa manhã acordarei, irei até a cozinha e farei meu café – é meu ritual diário, é o meu mimo pessoal. E lá olharei através do vitrô velho, vislumbrarei a avenida principal no alto, distante. Muito distante. E pensarei: estou sufocada. Que para me aproximar eu preciso, antes…

Quando eu cair

Vai ser atirando, Me debatendo, Arrancando as mãos, os dedos que encostarem. Arrancando-as, com meus dentes. E todos em volta vão apontar e dizer: “Eis o que não deve ser feito”. E você, meu caro, Deve seguirá tal fala, a regra. Leve a vida normalmente, Sob a conduta comum. Siga a boiada. E poupe-se… Que…