Felicidade incerta

jake-davies-235504Jake Davies

E tudo é tão bom que eu sinto certa tristeza.
Talvez porque demorara tanto para chegar até aqui, no ápice,
Para te conhecer, afinal.
Talvez por estar acostumada com pessoas e relações mal resolvidas,
Ou quem sabe, pela possibilidade de não ter tudo isso por muito tempo.
Que quão maior for nossa convivência mais eu terei de ti,
E você de mim.
E vais descobrir os meus defeitos mais grotescos,
As incertezas, as pendências
E até o ego, que reside lá no fundo da existência de cada ação,
Lá está o danado, camuflado, como tem que ser.
E vais enjoar da minha fome doentia do teu corpo,
Das minhas manifestações durante o coito,
Da forma como te toco
E espero ser tocada.
Vais enjoar, sobretudo, dessa ânsia de observar o andar das coisas,
Das considerações ridículas sobre o ponto do prato,
Do sabor do vinho
E o som que sela o enredo do nosso encontro.
E o que há de fazer diante desses vacilos rotineiros?
O que é que vai sobrar entre nós quando já não houver novidades?
Por ora, nada além da verdade inconsciente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s