Quantas mulheres o seu b.o. já salvou?

Das leituras necessárias:

Entre cafés e rabiscos

No começo desta semana a escritora Clara Averbuck denunciou o estupro sofrido enquanto voltava para casa de Uber. O autor: o próprio motorista. Como a escritora relatou, acabou se tornando número de uma estatística.

Clara foi sincera: ainda não sabe se vai registrar o caso oficialmente e, assim, entrou para um novo grupo de estatísticas: os casos de violência sexual que não são denunciados por incredulidade no sistema. Não bastasse isso, algumas pessoas decidiram jogá-la ainda em um terceiro grupo e, talvez, o pior deles: as mulheres desacreditadas ao falar sobre o abuso.

Vocês, que estão numerando 1001 motivos pelos quais Clara deveria sim ter ido a uma delegacia oficializar a denúncia – afinal, se não foi é porque tem algo errado aí. Da parte dela, é claro – decidiram violentá-la mais uma vez.

Isso mesmo.

Li comentários que iam desde alegar que Clara estava se expondo – imagine –…

Ver o post original 434 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s