Quando eu cair

Vai ser atirando,
Me debatendo,
Arrancando as mãos, os dedos que encostarem.
Arrancando-as, com meus dentes.

E todos em volta vão apontar e dizer:
“Eis o que não deve ser feito”.
E você, meu caro,
Deve seguirá tal fala, a regra.

Leve a vida normalmente,
Sob a conduta comum.
Siga a boiada.

E poupe-se…

Que eu vou fazer jus a definição de
Contra: contra as regras,
Contramão,
Contradição,
Contracultura.

E a massa permanecerá confusa.
Que lhes falta interpretação.
Raça. Personalidade.
Falta sede.
Sede de vida.

E eu já vivi, caros e caras.
Então a queda se aproxima.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s